A autoestima e sua importância

A autoestima está diretamente relacionada com o fato de gostar de si mesmo, acreditar no seu potencial, confiar na sua capacidade e auto respeitar-se.
Esses elementos são essenciais em nossas vidas pois determinam e ajudam a melhorar a nossa performance.
Ou seja, permitem às pessoas desenvolver um relacionamento com o mundo que as rodeia de forma consciente, onde passam
a enfrentar os desafios do dia a dia, aprendendo a se proteger ou a se expor em situações que exigem controle emocional.

O nível de autoestima das pessoas está diretamente relacionado com a percepção de si mesmo em comparação com os valores pessoais.
Por isso, na visão da psicanálise, a autoestima está relacionada diretamente ao desenvolvimento do ego.
Sigmund Freud utilizava a palavra alemã Selbstgefühl, especificando dois significados: consciência de uma pessoa a respeito de si mesma (sentimento de si),
e vivência do próprio valor a respeito de um sistema de ideais (sentimento de estima de si).
Este “sentimento de estima de si” que descreve Freud é a autoestima.

Porquê melhorar a autoestima

É importante perceber se suas reações e emoções estão sendo alteradas com frequência.
Por isso é preciso ter consciência e avaliar as suas atitudes.
Observe se passou a se sentir “menor” que as outras pessoas.

Este é o ponto em que acende uma luzinha e você precisa se reposicionar.
Quanto menos você se valoriza, mais dificuldades encontra nas suas relações, porque se torna mais sensível às críticas, à rejeição,
aos seus próprios erros e ao que os outros pensam de você.

Quando sentimos que a autoestima está meio enfraquecida é importante procurar uma maneira de restabelecer a sua força,
pois ela afeta a vida familiar, as relações do trabalho e claro fica muito difícil você conseguir ser feliz.
A autoestima está intimamente relacionada com o desenvolvimento do ego.

A percepção de nós mesmos a partir de nossos modos de agir e pensar é o que gera sentimentos de inferioridade ou superioridade,
autocrítica, autocensura, narcisismo ou egoísmo.
Todas essas características influenciam diretamente em nossas experiências, no bem-estar e na nossa qualidade de vida.
Portanto, devem ser bem analisadas.

Estratégias a serem observadas

1 – Tentar respeitar e viver de acordo com os próprios valores e crenças é um bom começo para melhorar sua autoestima.

Quando vivemos em função das expectativas dos outros, acabamos nos diminuindo, sentindo como sendo inferiores aos outros.
Se isso acontece , possivelmente você não vai conseguir gostar de si mesmo.

Lembre que cada um de nós tem e pratica diferentes valores, seguindo uma hierarquia estabelecida conforme  a formação que tivemos.
Com esses diferentes valores e prioridades, traçamos caminhos distintos na vida.

Basta assumir o compromisso diário de fazer o que você pensa e acredita.
Isto significa viver de forma clara e honesta, expressando e comunicando o que tem de melhor em você.

2 – Uma outra coisa a considerar é procurar sentir-se orgulhoso de ser autêntico.

Sendo solidário e observador consigo mesmo, onde pode rever as falhas, para não mais repeti-las.
Entenda que você pode aprender a reinventar-se a cada dia, aprendendo a respeitar-se mais,
aceitar-se pouco a pouco, ao invés de fazer muitas críticas a seu próprio respeito.
Assim, vai conseguindo maneiras de se adaptar a situações, até então consideradas complicadas,
fortalecendo cada vez mais a sua autoestima.

3 – É preciso ter muito cuidado com a forma que você fala de si próprio.

Geralmente não damos conta do quanto é “pesado” para nós mesmos.
As palavras que você utiliza quando se refere a você mesma, na comunicação com outras pessoas, ou mesmo,
apenas falando dentro da sua cabeça, influencia muito na sua auto estima.
Mesmo que  não consiga acreditar em seus valores, pare de se maldizer.
Como vai melhorar sua autoestima sentindo raiva e maltratando a única pessoa que está com você 24 horas por dia até o fim da sua vida.

Você precisa e deve ser seu próprio aliado.
Comece então a falar coisas positivas a seu respeito, fazendo pequenos carinhos através das palavras utilizadas.
Falar coisas que te colocam pra cima, mesmo que você não acredite nelas, é certamente muito mais útil do que se você viver desqualificando a si mesmo.

4 – Não somos perfeitos, então desenvolver sua autoestima é não sofrer tentando ser perfeito.

Por mais que você melhore ou por mais que você seja bom, tenha certeza, ninguém nunca é perfeito aos próprios olhos nem aos olhos dos outros.
Sabemos que todo mundo tem defeitos e qualidades, mas não é preciso de ter ideia fixa nos seus defeitos. Isso pode ser bastante prejudicial.
É importante alterar essa atitude.
Comece a se dar um pouco de amor, transforme a sua convivência consigo mesmo em algo bom, pacífico.
Isso vai fazer com que você sinta prazer com a sua própria companhia.

Encontre seu brilho, ele está dentro de você.
Você tem luz própria, é uma fonte de energia e consegue viver e conviver na melhor das sintonias!

5 – Quando falamos em desenvolver a autoestima, não estamos falando em viver tentando mostrar para o mundo que você é mais importante do que os outros.

Quando as pessoas mostram uma confiança excessiva nelas mesmas, geralmente tem uma autoestima bem fraca,
e por isso mesmo sentem essa necessidade de se convencerem e de convencerem quem está ao seu redor,
que possivelmente têm uma superioridade que nem elas mesmas acreditam ter.

Como melhorar a autoestima, 7 atitudes a serem observadas

1. Elimine a culpa

Um dos principais motivos para uma baixa autoestima é o sentimento constante de culpa.
Seja por não estar fazendo algo ou por aquilo que foi feito, e não foi bem aceito.
É muito comum nos culparmos pela vida que estamos levando.
Procure eliminá-la!

2. Não se compare com os outros

A competitividade é a tônica do mundo atual.
Precisamos aprender a deixar as comparações de lado, pois temos que acreditar que o sucesso pessoal
ou profissional pode ser alcançado por mérito próprio.
Cada pessoa é  única, complexa, tem seus próprios valores, têm emoções diversas.
Isso mostra que cada um constrói suas próprias experiências, sentem suas dores e conquistam felicidades.

Quando se trata da vida, não existe base de comparação: faça o que te faz bem.

3. Não generalize suas experiências, seja mais compassivo

Não é porque você cometeu um erro no passado que agora irá cometê-lo novamente.
Seja mais compassivo com você e não desanime.
O perdão deve estar sempre presente tanto para si mesmo, como para os outros.
Quando nos movimentamos mais naturalmente, de maneira mais leve, sem muitas cobranças,
aprendemos a visualizar melhor as situações.
E, assim aprendemos e podemos ser bem mais compassivos conosco e com os outros.

4. Confie em si mesmo

Em seu interior existe uma grande riqueza que você deve explorar para confiar mais nos seus movimentos,
levando sua vida para onde desejar, porque forças não te faltarão!
É muito mais fácil conseguir alcançar seus objetivos quando a mente já está inclinada a acreditar no seu sucesso.
Não espere que os outros te deem a motivação necessária para agir.
Aprenda a automotivar-se.

5. Seja sincero consigo mesmo

Mentir para si mesmo ajuda a cair em situações danosas, isso pode tornar-se perigoso!
É essencial ser verdadeiro na vida, tanto nas dificuldades como nas facilidades.
A verdade nos liberta!
Abrace suas fraquezas e forças, alimente o equilíbrio da mente com relação à cada uma delas,
sem se entregar ao narcisismo e sem se abalar pela autocrítica excessiva.
Só assim você supera as expectativas.

6. Comece a agradecer

Recebemos diariamente inúmeras graças, favores, e quase nunca nos lembramos de agradecer.
É uma deficiência que muitas pessoas ainda não ultrapassaram.
Observe quanto bem existe ao seu redor!
Quanto bem há dentro de você!
Quantas ações pode realizar com todo esse potencial e começar a se sentir mais feliz?
Pois é, à medida que você percebe essa magnitude e começa a se sentir grato por todo aquele bem ao seu redor,
também consegue impulsionar e promover melhores atitudes.

7. Comemore suas vitórias e viva no presente

Todas as vezes que conquistar novos objetivos, procure comemorar, consigo mesmo ou com outros.
Esse impulso positivo e contente reflete em você um maior equilíbrio físico e mental,
pois o torna realizado.
Por isso esta comemoração se torna tão presente no seu dia a dia.
Este é o melhor presente que pode dar a si mesmo.

Conclusão

Pessoas que possuem alta autoestima costumam ser mais fortes, resistir à situações adversas por acreditarem mais em seu próprio potencial de mente e ação.
São resilientes.
Então procure desenvolver-se com o objetivo de elevar e manter a autoestima em alta.
Você precisa acreditar que merece ser valorizado por cada atitude que busca de maneira consciente.
A verdadeira autoestima se expressa por um sentimento de bem estar interior, um sentimento silencioso e reconfortante.
Por isso devemos segui-la bem de perto.

Siga-nos no Facebook
Parabéns pela sua decisão
Você está perto de inscrever-se na Omnilife

Continuar minha Inscrição
Seus dados estão seguros
close-link

Importante Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso de cookies.

Ebook Grátis

Coloque o seu email e baixe gratuitamente o ebook 10 Caracteísticas essenciais para realizar seus sonhos

You have Successfully Subscribed!